março 12, 2010

A Noite

A Noite
(Por Wendel Araújo)


Na noite que passou,
não sei se por ironia do destino,
ou por um delírio da alma,
acordei às 3 horas da manhã,
não cheguei a sonhar,
pois acabara de dormir,
mas a sua face veio como um sonho em minha mente,
suspirei fundo,
fechei meus olhos na ânsia de dormir novamente,
as mãos suavam frio, meu coração estava apertado,
no pensamento uma só vontade: os seus beijos;
no peito um pulsar diferente,
no corpo saudade, na boca desejo,
minha garganta queria gritar seu nome,
mas no silêncio da madrugada até meu sussurrar fugiria do controle,
queria mesmo é levantar e sair correndo ao seu encontro,
mas como poderia? Estava tarde.

Com o quarto todo fechado nem as estrelas me serviram de testemunha,
o deitar me tornou incomodo,
os olhos entreabertos me enlouqueciam,
o ar estava pesado, o gosto começava a amargar, a luz fazia falta,
e voltando-me para o relógio apenas 20 minutos havia passado,
percebi então que aquela seria uma longa e dolorosa noite,
meu ser clamava pelo o teu,
e não se ouvia resposta a não ser um vazio profundo,
não sei ao certo dizer se isso era tristeza,
um sentimento incabível e inexplicável,
apenas sei que nada disso teria acontecido se você estivesse aqui comigo.

3 comentários:

alessandra disse...

Está de parabens !!!
mto linda
=)

Burunoes disse...

eita paixão
...
ficou bacana o/

Carla Rodrigues disse...

Profunda e de muito bom gosto!

Parabéns.