outubro 26, 2008

Sem sentidos...



As pessoas às vezes reclamam demais.
Nunca estão satisfeitas.
Nunca pensam nos outros.
Somente em si mesmas.
Não imaginam o quão dificultosa é a vida para os outros.
Preferem ignorar.
Preferem não sentir o que os outros sentem.
E muitas vezes "os outros" vivem melhor que esses ignorantes.

Alguma vez você já parou pra pensar que a criança que nasce surda nunca escutou seu nome?
E ela aprende a se comunicar sem ter ouvido uma única palavra.
Aprende vencendo barreiras, aprende superando a si mesmo,fazendo gestos.
E leva a vida inteira vendo as pessoas movimentar a boca e não escuta nada.
Deve até pensar como seria bom ouvir algum ruído.

Você ouve músicas, ouve as pessoas conversando, assiste televisão, perfeitamente.
Os surdos não.
Mas nem por isso eles desistem da vida.
Nem por isso abaixam a cabeça.
Tem mais força e gana para seguir em frente e encontrar oportunidades.E encontram.
Existem muitos que já se deram bem na vida.É só ter força de vontade.

Agora pense nos cegos
Naqueles que já nascem cegos.
Naqueles que nunca viram o sol.
Que nunca viram o próprio rosto no espelho.

E você olha o seu a toda hora para se certificar que não há nada de errado.Eles não.Nunca viram. Não sabem como eles são.
Mas descobrem-se através do tato.
Sabem cada curva, cada forma, cada espaço.
Os cegos desenvolvem capacidades impressionantes.
Conseguem andar de "olhos fechados".
Mesmo sem nunca terem visto o local.
Sem nunca terem visto o dia ou a noite.
Os cegos não podem assistir televisão, como você que assiste todo dia.Mas ele escuta.Ele não se deixa abater.
Os cegos também exercem profissões,praticam esportes,levam uma vida “normal”.
E você reclamando que trabalha demais, que não faz esporte,que não tem tempo pra nada.
Vai ver um cego faz mais coisas que você.

Agora imagina um mudo.
Que não pode falar o que quer.
Não consegue expressar o que quer dizer.
Ele cresce, aprende a língua como nós, porque escuta as pessoas conversarem como nós, mas nunca podem falar.
Ás vezes têm aquela vontade louca de dizer uma palavra, mas não conseguem.
E você aí, falando o tempo todo, falando mal dos outros,desperdiçando palavras.
Mas os mudos também levam uma vida normal,como os outros,como nós.
A única diferença é que eles não falam.
Mas talvez seja a deficiência menos pesarosa.

Agora imagina um pessoa com duas dessas eficiências.
Ou melhor, imagine alguém que não fala, não escuta e não vê.
Qual é o universo que essa pessoa vive?
Pode ser difícil um caso como esse aparecer,mas pelo menos com duas deficiência é menos raro, ou seja mais freqüente.

O que quero deixar claro,é que essas pessoas não são diferentes de nós.
Elas crescem,têm seus amores,têm um emprego,uma casa,uma família.
E muitas vezes não percebemos isso e só prestamos atenção em sua característica específica. Ninguém se coloca no lugar.Prefere ignorar.
Não podemos fazer isso.
A sociedade precisa ser mais sábia e identificar qualidades nessas pessoas,porque não são poucas.

Quando encontrar com alguém sem a função de um dos sentidos,trate-o normalmente.
Ele vai lhe agradecer muito,porque vai ter certeza de que ele "existe para a sociedade".
Todos têm seus valores.
Todos são especiais.

Um comentário:

Anastácio Soberbo disse...

Parabéns pelo Blogue.
É muito bonito, gosto do que leio e vejo.
Um abraço desde Portugal